Descrição

Sabe-se que não há neutralidade em toda extensão dos aspectos da realidade; ignora-se, porém, deliberadamente ou não, que escolas e instituições de ensino, por mais objetivas e honestas que sejam na busca do conhecimento, têm sempre um ponto de partida para sua apreensão do mundo; são invariavelmente regidas pelos mais variados princípios éticos; e objetivam todas um ideal do homem e sociedade: e deste último ponto há exemplos desde a “Grande Comunidade democrática” de Dewey à sociedade técnica e industrial dos planos quinquenais de Stálin.
 
Levando-se isso em conta, não existe a possibilidade, para os cristãos, de transigirem seus princípios bíblicos, visto que não há independência metafísica nem ética, mas simplesmente diferentes estruturas de referências ou fontes de lei e ordem — Javé ou Baal, Cristo ou César, a cidade celeste de Jerusalém ou a Babilônia das corrupções espirituais. De semelhante modo, como já dito, toda agência humana fundamenta-se numa teleologia, numa visão particular do futuro que subsume e submete todas as demais ações e dinâmicas a determinada finalidade. Resta, pois, ao cristão atentar-se e acautelar-se contra os caminhos cujos fins são caminhos de morte (Provérbios 14.12), tendo sempre em mente que, segundo nos ensina o maior sábio dentre os homens pecadores, “o temor do Senhor é o princípio da Sabedoria” (Provérbios 9.10). Assim, uma educação distintamente cristã deve ser absolutamente direcionada por uma filosofia e uma ética cristãs que conduzem ambas ao fim último do homem, isto é, um relacionamento íntimo com Deus que redunda em glória ao seu nome.
 
Este livreto, com artigos de John Frame, R. J. Rushdoony e Robert L. Dabney, demonstra, de modo sucinto porém incisivo, tanto a impossibilidade de uma educação neutra quanto os efeitos deletérios de toda educação secular. Todos aqueles interessados e biblicamente comprometidos com a criação de seus filhos e com o futuro da educação em nosso país fariam bem em ler, ponderar sobre as coisas aqui descritas e, cingindo-se com esses instrumentos intelectuais e espirituais, agir, dentro das capacidades dadas por Deus, para que o mundo reconheça que, em Cristo, “estão ocultos todos os tesouros da sabedoria e do conhecimento” (Colossenses 2.3).
 
 

Informações adcionais

Título: A desgraça do ateísmo na educação | Felipe Sabino (org)

Peso: 0.150 kg

Dimensões: 21 × 14 × 1 cm

Autor: Felipe Sabino (org)

Editora:  Monergismo

ISBN: 9788569980865

Páginas: 102

Ano: 2019

Acabamento: Brochura

Editora: Monergismo

A desgraça do ateísmo na educação | Felipe Sabino (org)
R$39,90 R$21,94
Esgotado
Frete grátis
A desgraça do ateísmo na educação | Felipe Sabino (org) R$21,94

Descrição

Sabe-se que não há neutralidade em toda extensão dos aspectos da realidade; ignora-se, porém, deliberadamente ou não, que escolas e instituições de ensino, por mais objetivas e honestas que sejam na busca do conhecimento, têm sempre um ponto de partida para sua apreensão do mundo; são invariavelmente regidas pelos mais variados princípios éticos; e objetivam todas um ideal do homem e sociedade: e deste último ponto há exemplos desde a “Grande Comunidade democrática” de Dewey à sociedade técnica e industrial dos planos quinquenais de Stálin.
 
Levando-se isso em conta, não existe a possibilidade, para os cristãos, de transigirem seus princípios bíblicos, visto que não há independência metafísica nem ética, mas simplesmente diferentes estruturas de referências ou fontes de lei e ordem — Javé ou Baal, Cristo ou César, a cidade celeste de Jerusalém ou a Babilônia das corrupções espirituais. De semelhante modo, como já dito, toda agência humana fundamenta-se numa teleologia, numa visão particular do futuro que subsume e submete todas as demais ações e dinâmicas a determinada finalidade. Resta, pois, ao cristão atentar-se e acautelar-se contra os caminhos cujos fins são caminhos de morte (Provérbios 14.12), tendo sempre em mente que, segundo nos ensina o maior sábio dentre os homens pecadores, “o temor do Senhor é o princípio da Sabedoria” (Provérbios 9.10). Assim, uma educação distintamente cristã deve ser absolutamente direcionada por uma filosofia e uma ética cristãs que conduzem ambas ao fim último do homem, isto é, um relacionamento íntimo com Deus que redunda em glória ao seu nome.
 
Este livreto, com artigos de John Frame, R. J. Rushdoony e Robert L. Dabney, demonstra, de modo sucinto porém incisivo, tanto a impossibilidade de uma educação neutra quanto os efeitos deletérios de toda educação secular. Todos aqueles interessados e biblicamente comprometidos com a criação de seus filhos e com o futuro da educação em nosso país fariam bem em ler, ponderar sobre as coisas aqui descritas e, cingindo-se com esses instrumentos intelectuais e espirituais, agir, dentro das capacidades dadas por Deus, para que o mundo reconheça que, em Cristo, “estão ocultos todos os tesouros da sabedoria e do conhecimento” (Colossenses 2.3).
 
 

Informações adcionais

Título: A desgraça do ateísmo na educação | Felipe Sabino (org)

Peso: 0.150 kg

Dimensões: 21 × 14 × 1 cm

Autor: Felipe Sabino (org)

Editora:  Monergismo

ISBN: 9788569980865

Páginas: 102

Ano: 2019

Acabamento: Brochura

Editora: Monergismo