Descrição

No período seguinte à morte do rei Davi, o povo de Israel tornou-se profundamente impregnado por uma forma sincretista de religião que fundiu elementos da adoração de Iavé com os antigos cultos de fertilidade de Canaã, identificando Iavé, o Deus de Abraão, Isaque e Jacó, com Baal, uma divindade pagã. Essa forma corrupta de adoração ocorreu no período da monarquia, enraizando-se nas práticas religiosas do povo, que seguiu o exemplo idólatra do próprio Salomão, perdurando até o exílio.
 
As reformas instituídas pelos reis piedosos pouco influenciaram a religião do povo, cujas práticas de culto giravam em torno do sincretismo — não nos termos das práticas religiosas do templo e do sacerdócio estabelecidas na lei de Moisés, não raro esquecidas, às vezes até mesmo abandonadas por completo.
 
Em grande medida, a corrupção do culto de Iavé acelerou o cativeiro na Babilônia. Que lição os cristãos do século XXI podem aprender desse período da história bíblica? Existem similaridades, em qualquer nível, entre a mentalidade dos antigos hebreus e a cosmovisão da sociedade moderna ocidental que possam nos ajudar a entender a cegueira espiritual predominante nas igrejas ocidentais modernas? Este livreto procura fornecer respostas para essas perguntas e, assim, fornecer algumas orientações para sairmos do atual fracasso espiritual e moral que conduz a sociedade ocidental contemporânea à ruína.
 
 

Informações adcionais

Título: A adoração a Baal antiga e moderna | Stephen C. Perks

Peso: 0.100 kg

Dimensões: 21 × 14 × 1 cm

Autor: Stephen C.Perks

Editora: Monergismo

ISBN: 9788569980131

Páginas: 52

Ano: 2016

A Adoração a Baal | Stephen C. Perks
R$24,90 R$14,94
Quantidade
A Adoração a Baal | Stephen C. Perks R$14,94

Frete grátis a partir de R$200,00

Descrição

No período seguinte à morte do rei Davi, o povo de Israel tornou-se profundamente impregnado por uma forma sincretista de religião que fundiu elementos da adoração de Iavé com os antigos cultos de fertilidade de Canaã, identificando Iavé, o Deus de Abraão, Isaque e Jacó, com Baal, uma divindade pagã. Essa forma corrupta de adoração ocorreu no período da monarquia, enraizando-se nas práticas religiosas do povo, que seguiu o exemplo idólatra do próprio Salomão, perdurando até o exílio.
 
As reformas instituídas pelos reis piedosos pouco influenciaram a religião do povo, cujas práticas de culto giravam em torno do sincretismo — não nos termos das práticas religiosas do templo e do sacerdócio estabelecidas na lei de Moisés, não raro esquecidas, às vezes até mesmo abandonadas por completo.
 
Em grande medida, a corrupção do culto de Iavé acelerou o cativeiro na Babilônia. Que lição os cristãos do século XXI podem aprender desse período da história bíblica? Existem similaridades, em qualquer nível, entre a mentalidade dos antigos hebreus e a cosmovisão da sociedade moderna ocidental que possam nos ajudar a entender a cegueira espiritual predominante nas igrejas ocidentais modernas? Este livreto procura fornecer respostas para essas perguntas e, assim, fornecer algumas orientações para sairmos do atual fracasso espiritual e moral que conduz a sociedade ocidental contemporânea à ruína.
 
 

Informações adcionais

Título: A adoração a Baal antiga e moderna | Stephen C. Perks

Peso: 0.100 kg

Dimensões: 21 × 14 × 1 cm

Autor: Stephen C.Perks

Editora: Monergismo

ISBN: 9788569980131

Páginas: 52

Ano: 2016